RÁDIO SAGRADA UMBANDA - OUÇA - USE OS CONTROLES PARA O VOLUME OU PAUSAR AS MÚSICAS

sábado

EXERCÍCIOS PARA GLÂNDULA PINEAL E DEMAIS.

Edgar Evans Cayce (Hopkinsville, 18 de Março de 1877 — Virginia Beach, 3 de Janeiro de 1945) foi um clarividente norte-americano que teria canalizado respostas para questões que tratam sobre espiritualidade, imortalidade, reencarnação, saúde, dentre outras.

Cayce teria sido um dos maiores clarividentes da História. Era chamado pela mídia norte-americana como "O Profeta Adormecido", porque predizia eventos futuros e prescrevia medicamentos com os olhos fechados, relaxado sobre um divã e ao lado de uma taquígrafa realizando as anotações, em um suposto estado de "transe".



Para Edgar Cayce, a ação sobre o sistema glandular é o caminho para se obter a cura ou a enfermidade.
A escolha depende de como agimos para influenciar as glândulas.


Texto a seguir por Helena Gerenstadt,  historiadora, pesquisadora,  terapeuta holística. Publicou alguns livros: Avalon e o Graal, Mistérios Arturianos da Editora Madras, Cuidados Naturais para a Beleza e a Saúde da Editora Best Sellers  e  O Jogo da Oca - O Labirinto, um jogo da provêm da Idade Média entre outros grandes trabalhos.
  Fica a dica deste Sacerdote para conhecerem seus trabalhos.


Vamos ao texto:



As glândulas endócrinas são o ponto de contato entre os nossos três corpos . Energético, Físico e Espiritual

Através delas que se atua no corpo físico, nosso Espírito.

Portanto, a cura se inicia no sistema glandular.

O sistema glandular é a fonte de todas as atividades humanas, de todas as disposições, de todos os temperamentos e da diversidade das naturezas e das raças.

O medo, a cólera, a alegria, quaisquer das energias emocionais estão relacionadas com as glândulas endócrinas, pois as mesmas produzem secreções hormonais que se expandem dentro do organismo.

Os olhos, o nariz, o cérebro, a traquéia, os brônquios, os pulmões, o fígado, o baço, o pâncreas, não podem funcionar de forma isolada, mas podem renovar-se dentro do conjunto das funções glandulares.

Talvez seja neste ponto que o sistema endócrino seja influenciado pelas atividades da alma e é por este caminho que se encontra o dom do Criador.

As glândulas estão relacionadas com a renovação das células, com a degeneração e com o rejuvenescimento, não só da energia física, mas também da energia do corpo mental e do corpo espiritual.

É através dessas minicentrais de energia que nosso corpo físico recebe a cura ou a enfermidade.

Nossas atitudes mentais não são alheias às nossas atitudes físicas – tais como o nosso falar, o nosso tom de voz, a nossa forma de olhar – pois todas as glândulas endócrinas estão atuando sobre nosso sistema sensorial.

As glândulas orquestram todas as atividades do corpo físico – sua forma, suas manifestações, suas percepções – Já outros  centros glandulares maiores, ou seja, aquelas glândulas que secretam hormônios como a pineal, a pituitária, o timo, a tireóide, as supra-renais e as gônadas masculinas e femininas.

Existem outras glândulas no organismo, mas correspondem ao que a tradição hindu chama de Chacras ou Chakras, que são as chaves da personalidade humana. Canalizadores recebendo e emanando energias.

Cada uma das glândulas corresponde a uma função precisa, a uma vibração colorida, a um elemento da Terra, a um signo astrológico, a determinada nota musical e a uma influência de um planeta.

A 'pituitária' é a glândula mais alta do corpo; está relacionada com a luz e se desenvolve no 'silêncio'. 


A GLÂNDULA  PITUITÁRIA OU  HIPÓFISE [OU CASA DA INTELIGÊNCIA] também chamada de glândula “mestra” do organismo, é um órgão pequeno, tendo no homem o volume de uma pequena noz, pesando por volta de 0,6g.

Situa-se no interior da caixa craniana, numa depressão óssea chamada sela túrcica.


Ela coordena o funcionamento das demais glândulas, porém não é independente, obedece a estímulos do hipotálamo.


A hipófise é formada de três partes: A hipófise
anterior ou adeno-hipófise, hipófise intermediaria e hipófise posterior.


A atividade das células hipofisárias e a emissão de seus hormônios no sangue estão sob o controle de centros nervosos situados na base do cérebro, na região denominada hipotálamo. 


As relações entre as duas estruturas se faz por intermédio de substâncias químicas: os fatores de liberação, ou “releasing factors”, secretados por alongamentos de células especializadas do hipotálamo.

Dos sete hormônios produzidos pela adeno-hipófise, quatro exercem sua ação por intermédio de uma outra glândula endócrina.


A 'glândula pineal' é o ponto inicial para a 'construção do embrião' no ventre da mãe.



A 'tireóide' entra em ação quando se deve tomar uma 'decisão e agir'.


O 'timo' corresponde ao 'coração'.


As ' supra-renais' são o nosso 'centro emocional' e atuam sobre o 'plexo solar'.










A ADENO-HIPÓFISE OU HIPÓFISE ANTERIOR
A adeno-hipófise produz hormônios essenciais ao crescimento, ao metabolismo geral e à reprodução, garantindo a sobrevivência da espécie. Ela produz pelo menos seis hormônios. Três deles, as gonadotrofinas, são sexuais.




OS HORMÔNIOS SEXUAIS - AS GONADOTROFINAS
Estas substâncias estimulam as gônadas [testículos e ovários] a produzirem células reprodutoras.





O HORMÔNIO TIREOTRÓFICO
O hormônio tireotrófico [TSH] estimula a glândula tireóide e participa no metabolismo orgânico, no aproveitamento da água, do iodo, do cálcio, do fósforo, dos açúcares, das
gorduras, das proteínas e das vitaminas.





O HORMÔNIO ADRENOCORTICOTRÓFICO
O hormônio adrenocorticotrófico [ACTH] é o ativador da parte externa da glândula supra-renal, vital no controle da água, sais e outros elementos.





O HORMÔNIO SOMATOTRÓFICO
O sexto hormônio, o somatotrófico, ou hormônio do crescimento, estimula o crescimento de todos os tecidos do corpo e também tem grande importância no aparecimento do diabetes.





A HIPÓFISE INTERMEDIÁRIA E O HORMÔNIO MELANOTRÓFICO
A parte intermediária da hipófise secreta o hormônio melanotrófico ou melatrofina que em peixes e anfíbios induz à dispersão dos grânulos de melanina dos melanócitos, levando ao escurecimento da pele. Esse processo é de fundamental importância para a
proteção desses animais diante da ação dos predadores.









A HIPÓFISE POSTERIOR E A VASOPRESSINA, O HORMÔNIO ANTIDIURÉTICO E A OXITOCINA
A hipófise posterior ou neuro-hipófise, localiza-se no lobo posterior, sendo constituída por fibras nervosas desprovidas de mielina (desmielinizadas) e por células da neurologia. Os hormônios neuro-hipofisários são: a vasopressina ou hormônio antidiurético (ADH), ambos produzidos no hipotálamo e armazenados no lobo posterior da hipófise, que controla o equilíbrio hídrico do organismo.

A oxitocina age na musculatura lisa da parede do útero, facilitando a expulsão do feto e da placenta.


Uma característica peculiar da neuro-hipófise é a sua circulação, curiosamente feita quase que totalmente de sangue venoso, isto é, carregado de gás carbônico e com baixas taxas de oxigênio.


As secreções da “glândula mestra” obedecem a um conjunto de estímulos de ordem hormonal e nervosa. Assim, pode-se concluir que exista uma relação direta entre estado psíquico e hormônios.







CENTROS DE REGULAÇÃO DO COMPORTAMENTO E DA EMOÇÃO

Durante muito tempo acreditou-se que a regulação do comportamento e em especial o comportamento emocional estaria na dependência de todo o cérebro. Coube principalmente a Hess, demonstrar a existência de centros de regulação do comportamento.

Sabe-se que as áreas relacionadas com o comportamento emocional
ocupam territórios bastante grandes.


Por exemplo, no tronco encefálico estão localizados vários núcleos de nervos cranianos, viscerais e somáticos. Ativando-se essas estruturas ocorrem estados emocionais, resultando diversas manifestações como: o choro, alterações fisionômicas, sudorese, salivação, aumento do ritmo cardíaco.


Além de sua participação nos fenômenos emocionais, estas áreas relacionam-se também com comportamentos ligados às necessidades básicas do organismo tais como a sede, a fome e o sexo, importantes para a preservação do indivíduo e da espécie. 


O fato de que as áreas encefálicas que regulam o comportamento emocional também regulam o sistema nervoso autônomo torna-se mais significativo se considerarmos que as emoções se expressam através de manifestações viscerais [choro, aumento de salivação, eriçar de pelos em um gato com raiva] e são acompanhadas de alterações da pressão arterial, do ritmo cardíaco e respiratório.

Torna-se claro também que muitos distúrbios emocionais graves resultam de afecções viscerais, sendo um exemplo clássico o caso das úlceras gástricas e duodenais.







OBSERVAÇÕES
A hipófise é muitas vezes marcada nas tradições como o “Terceiro Olho”.

Inúmeras obras de arte sacra e crenças místicas indígenas representam essa marca entre as sobrancelhas, na testa, assim como todas as religiões reconhecem sua importância espiritual. 


Esta nobre glândula governa também a memória, a sabedoria, a inteligência e o pensamento. Ela ainda regula a produção de hormônios de outras glândulas, como a tireóide.






EXERCÍCIOS ESPECÍFICOS PARA A GLÂNDULA HIPÓFISE OU PITUITÁRIA
De preferência, faça esta série de exercícios sentado e com os olhos fechados.



EXERCÍCIO 1 [Ressoar o Tambor Celeste]

















♦ Una os dedos médio e indicador [ver fig.], colocando o
dedo médio em cima do indicador.

♦ Com os dedos unidos, coloque as palmas das mãos em
forma de concha no ouvido [ver fig.].

♦ A seguir, desloque o dedo médio pressionando-o sobre o
dedo indicador até que se separem. Através do impulso,
o dedo médio “baterá” na depressão, na base do crânio.




Isto provoca uma ressonância, uma vibração, que vai
atingir a hipófise. Coloque sua atenção na sensação
produzida e também no som que ressoa na caixa
craniana.

O som produzido é o “OM” primordial [AUM]. Essa vibração monossilábica é o som
primordial inaudível, o som criador, a imagem do Verbo a partir do qual se desenvolve a
manifestação.





EXERCÍCIO 2 [Tamborilar com os dedos a região entre as sobrancelhas e fazer movimentos circulares]


♦ Coloque os dedos médio e indicador
das duas mãos na região entre as
sobrancelhas e os olhos. Com a polpa
dos dedos dê suaves “batidinhas”,
como se tamborilasse a região.
♦ Em seguida, faça uma massagem com
movimentos circulares entre as sobrancelhas e
na nuca [com os dedos médio e indicador].
Coloque os dedos na região entre as sobrancelhas
e com a outra mão toque o ponto abaixo do
crânio, na nuca, onde há uma depressão ou
reentrância [ver fig.].





♦ Comece a massagear simultaneamente os dois pontos, no sentido que lhe aprouver.
Faça como achar mais confortável. Quando sentir que deve parar, passe para o outro
exercício.








EXERCÍCIO 3 [Aquecer a região das têmporas]


♦ Friccione as mãos e coloque-as sobre as têmporas.
♦ Massageie as têmporas fazendo pequenos círculos.








EXERCÍCIO 4 [Tamborilar a região acima das orelhas]


















♦ Coloque os dedos das duas mãos na região acima das
orelhas. Com a polpa dos dedos dê suaves
“batidinhas”, como se tamborilasse a região.










EXERCÍCIO 5 [Movimento em cruz sobre o osso do nariz e acima das sobrancelhas]












































































♦ Coloque os dedos médio e indicador de
ambas as mãos sobre o início do nariz,
na altura dos olhos, e suba até o meio
da testa, desenhando uma reta.
♦ A seguir, mova-os (sem tirá-los do
rosto) e percorra horizontalmente a
região das sobrancelhas, vá até o final
delas.
♦ Volte os dedos para o nariz e suba até a
testa novamente e depois para as
sobrancelhas.


Repita este movimento em forma de cruz algumas vezes.









EXERCÍCIO 6 [Aquecer a região entre as sobrancelhas e a base do crânio]



















♦ Aqueça as mãos friccionando a parte mais
próxima dos punhos. Coloque uma mão
sobre a região do “terceiro olho” e a outra na
base do crânio.
♦ Repita, aquecendo novamente as mãos e
fazendo o mesmo gesto.
♦ Faça 3 vezes.









EXERCÍCIO 7 [Aquecer o pavilhão dos ouvidos]


















♦ Friccione as palmas das mãos até aquecê-las
bem, a seguir coloque-as sobre as orelhas.
Sinta o calor invadindo a parte interna dos
ouvidos e adjacências.












EXERCÍCIO 8 [Aquecer as cavidades oculares]


















♦ Aqueça as mãos novamente e coloque-as sobre os
olhos. Você pode permanecer de olhos abertos.
♦ Faça 8 vezes. Este exercício beneficia a visão e
relaxa os músculos oculares.





A repetição diária permitirá que as situações da vida se tornem mais claras, que as soluções cheguem de maneira mais rápida e com inteligência lúcida. Restabelecerá a paz interior e a qualidade do sono se tornará melhor.




Este exercício tem um efeito imediato, pois os olhos fazem parte do cérebro. 



Ao fazer contato com as células cerebrais, os nervos ópticos serão privilegiados com um profundo relaxamento. Lembramos que estes órgãos maravilhosos são muito exigidos e forçados a trabalhar sem descanso. Faça este gesto várias vezes ao dia sempre que sentir a vista cansada ou a cabeça atordoada pelas exigências da vida.





Fontes: Textos em Blogs e Sites: Sexto sentido, PortalArco íris,http:acessandoadivinaluz.webnode.com.br http://alquimiadocorpoedamente.blogspot.com.br- Texto fonte:http://www.ogrupo.org.br/glandula_hipofise_pituitaria.asp-Texto adaptado Isaias Pintto - Fotos Lèo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pela participação. Deus lhe abençoe.