RÁDIO SAGRADA UMBANDA - OUÇA - USE OS CONTROLES PARA O VOLUME OU PAUSAR AS MÚSICAS

quinta-feira

FOTO KIRLIAN

DESMISTIFICANDO FOTO KIRLIAN



Fotos Net





"Kirliangrafia" ou, num termo mais moderno, bioeletrografia, é o método de fotografia descoberto pelo padre Landell de Moura em 1904. Sob a designação de "O Perianto", ele descrevia minuciosamente os efeitos eletro-luminescentes do que muitos acreditam ser a aura humana. Ele não pôde seguir adiante em sua pesquisa, parando-a em 1912, por questões doutrinárias da Igreja Católica ,já que a técnica poderia revelar o que ele chamava de perianto, termo semelhante ao perispírito, usado pelos espíritas.


O processo da fotografia Kirlian é nomeado após Seymon Kirlian, um eletricista e re-inventor amador de Krasnodar, Rússia, que foi pioneira no processo no início dos anos 1940. A fotografia Kirlian é o fenômeno de descarga corona, que ocorre quando um objeto aterrado eletricamente descarrega faíscas entre ele e um eletrodo gerando o campo elétrico. Quando estas faíscas são capturados no filme eles dão a aparência de coronas de luz. As descargas podem ser afetados pela temperatura, umidade, pressão, ou outros fatores ambientais. 

Nos círculos paranormais este método é visto como visualizar a aura de um objeto ", e é utilizada como uma técnica de diagnóstico de algumas terapias alternativas.

Ele descobriu por acaso que se um objecto pousado numa placa fotográfica é submetido a um campo eléctrico, surge uma imagem na placa. A imagem um halo colorido ou a coroa de uma descarga. Diz-se que é uma manifestação física da aura espiritual que envolve cada ser vivo.

Alegadamente, este método de fotografar objetos permite imagens de forças paranormais ou auras. Na verdade o que é fotografado são fenômenos naturais como pressão, umidade, temperatura, carga eléctrica. Mudanças no meio (que podem refletir mudanças nas emoções), pressão barométrica, voltagem, entre outras coisas, podem produzir diferentes "auras".

As coisas vivas (como os vulgarmente fotografados dedos) são úmidos. Quando a eletricidade se espalha pelo corpo vivo, produz uma área de gaz ionizado à volta do objecto fotografado, assumindo que a umidade está presente no objecto. Esta umidade é transferida do sujeito para a emulsão fotográfica e causa uma alteração dos padrões da carga elétrica do filme. Se a fotografia é tirada em vácuo, em que não existe gaz ionizado, nenhuma imagem aparece. Se a imagem kirliana fosse devida a um campo de energia paranormal do ser vivo, não deveria desaparecer num simples vácuo. [Hines]

Temos afirmações de que as fotografias kirlianas são capazes de capturar o "membro fantasma", isto é, quando uma folha é colocada sobre a película e rasgada ao meio a "fotografia" mostra toda a folha. Isto não se deve a efeitos paranormais, mas ao resíduo deixado da impressão inicial feita pela folha completa..

A fotografia Kirliana foi desenvolvida pela Nova Era como um instrumento de diagnóstico médico chamado Bio-Electrografia do qual se afirma que... é um método de investigação para objetos biológicos, baseado na interpretação da imagem de descarga da corona obtida durante a exposição a um campo electromagnético de alta frequência que é registado em película fotográfico ou equipamento de vídeo. O seu uso principal é um meio de diagnóstico rápido, barato e relativamente não invasivo para um diagnóstico de estados psicológicos e fisiológicos.
A fiabilidade de diagnosticar doenças fotografando auras não é muito grande, contudo. Bio-Electrografia não deve ser confundida com a Análise de Energia Energética, que nos é trazida por Peter Mandel que desenvolveu uma terapia unificando a acupunctura e a fotografia Kirliana. Chama-lhe Colorpuntura Esogética.

Nenhum destes métodos de diagnóstico devem ser confundidos com outros tipos de fotografia médica, tomografia, ressonância magnética, e outros tipos de imagens médicas, nenhuma das quais tem seja o que for a ver com fotografia kirliana ou auras.

Técnica: no procedimento para obter uma foto Kirlian, o objeto, como por exemplo uma folha ou a parte do corpo de uma pessoa (geralmente os dedos), é colocado próximo à emulsão fotográfica, em uma chapa isolante com um eletrodo metálico por baixo, o qual está ligado ao aparelho de fotografia Kirlian que gera uma corrente elétrica pulsante de alta freqüência, baixa corrente e alta tensão (normalmente de cinco mil até vinte mil volts). Na foto obtida por este processo, aparece uma luminescência felpuda ao redor dos contornos dos objetos fotografados, resultantes da ionização dos gases que ali se encontram, onde fótons são produzidos e ali ficam registrados.

Fotografia Kirlian ,serve para captar a energia eletromagnética emitida por objetos. Essa energia não é visível a olho nu, mas podemos senti-lo quando em contacto próximo com alguém ou algo. Às vezes, somos atraídos por alguém com uma certa aura que é quase magnética. Eles parecem estar rodeado por um brilho juvenil. alimento vegetal cru é emitem estes maravilhosos padrões de luz vibrante que os alimentos cozidos não. Quando começamos a pensar sobre os elementos da beleza como início a partir de dentro, é bastante natural para iniciar a viagem através da concepção de uma dieta que consiste em alimentos crus que exibem vibrante e luminoso de energia.

Muito se especula sobre o que é registrado nas fotos Kirlian. Numa visão mística, alguns entusiastas religiosos alegam que as imagens do halo registrado nas fotos, correspondem à aura, ainda que esse registro também ocorra com objetos, ferramentas ou pedras. De fato o que se registra nas imagens eletrografadas é apenas a resistência ou permeância elétrica do objeto em estudo.

O maior argumento a favor da explicação aceita pela comunidade científica (e consequentemente contra a explicação mística para o fenômeno) é o fato de que a suposta aura não aparece se a fotografia for realizada no vácuo. Como a suposta aura defendida pelos esotéricos deveria continuar existindo no vácuo, ou em qualquer outra condição atmosférica, esse fato representou um duro golpe na explicação mística para a imagem registrada pela fotografia Kirlian.

Embora alguns têm especulado que a fotografia Kirlian registra a aura realmente muito dito por alguns místicos e curadores psíquicos que existe em torno de seres humanos, este não é um ponto de vista geralmente aceitos. A explicação científica destas imagens dramáticas é que elas resultam de interações entre partículas carregadas criado pelo campo eletromagnético usada para formar as imagens. Um artigo da Science 1976 concluiu que a umidade é um fator determinante principal da forma e da cor dos direitos humanos fotografias Kirlian.

Também foi notado que as variações em uma variedade de fatores, incluindo a quantidade de pressão sobre a placa, a tensão e frequência, e tempo de exposição, umidade e temperatura, podem influenciar as imagens produzidas.

Por estas razões, bem como os créditos de insegurança e falta de dados de investigação de apoio a sua utilização, a fotografia Kirlian não é reconhecido como um instrumento legítimo de diagnóstico da comunidade médica mainstream.

No entanto, os praticantes individuais e os investigadores continuam a experimentar com a fotografia Kirlian para o diagnóstico, especialmente na Rússia e Europa Oriental. Também tem sido utilizada para fins não médicos, como detecção de falhas no metal e determinar a viabilidade das sementes.

Fotografias em que aparecem pessoas rodeadas por uma aura luminescente são mais comuns do que se pensa. Se a imagem é recente diremos logo que é uma manipulação feita com photoshop. Porém se é mais antiga, anterior à era da fotografia digital, os espíritos mais religiosos erguem-se clamando estar perante provas da existência da aura humana, esquecendo-se que os efeitos fotográficos existem desde os primórdios da fotografia. Neste caso a aura é produzida por um efeito muito simples denominado Kirlian.

A energia não existe apenas nas coisas vivas e móveis. Enumeras experiências e milhares de fotografias relatam a energia existente em todos os objetos.

Com a Foto Kirlian, os cientistas descobriram que o nosso campo energético é imediatamente alterado pela energia que nos cerca. Identifica o medo, a agressividade ou a amabilidade das pessoas ao nosso redor. Interage com os campos de energia das máquinas, do Sol, da Lua, dos planetas, de trovões, dos sons e dos ventos. É também afetado por mudanças de estações e pelas marés e especialmente por distúrbios electromagnéticos no Sol (manchas solares).

O que está a começar a surgir é:
“…uma nova imagem do Ser Humano, ao invés de um ser alienado, um campo pulsativo, interagindo dinamicamente com todos os outros campos, como uma nota musical, ressoando com todas as outras notas de uma sinfonia. É a nova óptica do Ser Humano conectado com o Cosmos, consciente e reagindo, por intermédio do seu campo de energia bioplásmico, às mudanças do Sol e dos Planetas, do meio ambiente, das condições meteorológicas e das máquinas, bem como às doenças, ao humor e ao pensamento de outras pessoas; uma visão da humanidade como parte da cadeia de vida na Terra e no Universo.”


Fonte Texto Original http://desmistificacao.blogspot.com.br/ -



Visite também: www.sagrada-umbanda.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pela participação. Deus lhe abençoe.